Sal light, refinado e do Himalaia: qual é melhor?


Quem ama colocar sal em tudo? Esse costume exagerado, herdado dos nossos colonizadores, pode ser bem perigoso para a nossa saúde. Mas, ao mesmo tempo, o sal pode conter alguns benefícios também. 

Além disso, hoje temos diversos tipos de sal que dizem ser “mais saudáveis” do que outros. Será que é verdade? Veja com o AnaMaria Receitas tudo sobre esse temperinho milenar e tire suas dúvidas de uma vez por todas!

Para que o sal serve?

Por muito tempo o sal foi utilizado para tudo: preservar alimentos, derreter a neve, mumificar as pessoas e até como pagamento (inclusive a palavra “salário” veio daí, sabia?). Mas hoje, o maior uso dele é para dar vida a alimentos . 

O que acontece, na verdade, é um costume do nosso paladar, assim como alguns gostam de açúcar no café, outros não podem viver sem sal na pipoca, por exemplo. E de fato, todas as nossas comidas salgadas contém mais sal do que o necessário para poder se adequar ao nosso paladar. 

O problema é que, quando consumimos algo do pacote, não sabemos a quantidade de sódio exata que foi adicionada na produção, mas pode ter certeza que foi muito mais do que deveríamos comer. E isso tudo pode ser bem perigoso para o nosso organismo. 

A quantidade de sal tem a ver com o nosso paladar/ Foto: Pixabay

Benefícios e malefícios

Além do sabor salgado, o que o sal pode fazer por nós? O sódio permite a transmissão de informações entre as células nervosas, desencadeia a contração muscular e regula a pressão arterial. Também participa do transporte de nutrientes no intestino delgado e rins, além de equilibrar os fluídos e a acidez no corpo.

Porém, quando exageramos, ele pode ser um veneno. Seus rins e seu coração serão os mais afetados caso a quantidade ingerida ultrapasse o limite de 5 a 6 gramas diárias. Infecções renais podem aparecer já que o órgão não foi feito para excretar tanta quantidade de minerais (como se a peneira do rim furasse). Além disso, a pressão arterial aumenta, possibilitando uma série de complicações cardiovasculares e até cerebrais.

Qual é o melhor sal?

De uns tempos para cá deram destaque a um sal rosa chamado sal do Himalaia e, segundo a lenda, ele faz muito bem para o nosso corpo. No entanto, o que os pesquisadores concluíram foi que esse novo tipo contém a mesma quantidade de sódio do que o ingrediente comum de cozinha. A única diferença é que, por não passar pelo processo usual de refinação, ele pode conter alguns outros minerais interessantes. 

Mesmo assim, a maior distinção é o preço mesmo. A quantidade de outros minerais é pouca e, combinado com o sódio, acaba que nem vale muito a pena. A não ser que você queira gastar seu dinheiro com um sal natural e rosa, vai de cada um. 

O sal light, por sua vez, geralmente é utilizado por pessoas mais sensíveis e que, por recomendação médica, precisam diminuir a quantidade de sódio na dieta. Ele funciona bem, no entanto, por ter menos sódio, ele salga menos. Então dependendo do uso, dá na mesma. 

O grande segredo da saúde é o equilíbrio. Utilize apenas uma quantidade suficiente de sal, analise as embalagens dos alimentos e tenha uma rotina saudável com nutrientes variados, bastante água e exercícios físicos regulares. 

Sal do himalaia é melhor? Foto: Pixabay