Impacto dos alimentos ultraprocessados na saúde


Alimentos ultraprocessados são produtos alimentícios que as indústrias submetem a múltiplos processos industriais, nos quais se adicionam ingredientes como açúcares, gorduras, sal, aditivos químicos e outros compostos, além de utilizarem técnicas de processamento que resultam em produtos altamente refinados e de longa vida útil.

Esses alimentos geralmente possuem poucos ou nenhum componente alimentar integral e são ricos em calorias, gorduras saturadas, açúcares e sódio, enquanto carecem de nutrientes essenciais, como vitaminas, minerais e fibras.

Você ainda tem dúvidas sobre quais são esses alimentos ultraprocessados? O AnaMaria Receitas resolve esse problema!

  • Refrigerantes e outras bebidas açucaradas
  • Salgadinhos industrializados, como chips e batatas fritas de pacote
  • Biscoitos recheados e bolachas industrializadas
  • Cereais matinais açucarados e barras de cereais processadas
  • Nuggets de frango e outros produtos à base de carne processada
  • Macarrão instantâneo e sopas de pacote
  • Produtos de confeitaria, como bolos, tortas e cupcakes pré-embalados
  • Fast foods, como hambúrgueres, pizzas congeladas e batatas fritas de redes de fast food
  • Alimentos prontos congelados, como lasanha pronta e refeições congeladas
  • Embutidos e produtos de charcutaria, como salsichas, presunto e mortadela.

Qual o impacto desses alimentos na saúde? 

O consumo excessivo de alimentos ultraprocessados pode desencadear uma série de impactos negativos na saúde, incluindo:

  • Obesidade: Esses alimentos frequentemente apresentam teores elevados de calorias, gorduras saturadas e açúcares adicionados, o que pode resultar em ganho de peso e obesidade quando ingeridos em excesso.
  • Doenças cardiovasculares: A alta concentração de gorduras saturadas, colesterol e sódio em muitos alimentos ultraprocessados pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares, como hipertensão arterial, doenças cardíacas e derrames.
  • Diabete tipo 2: O consumo regular de alimentos ultraprocessados, especialmente aqueles ricos em açúcar, pode contribuir para o desenvolvimento de resistência à insulina e diabete tipo 2.
  • Câncer: Certos aditivos alimentares e compostos químicos presentes em alimentos ultraprocessados têm sido associados a um maior risco de desenvolvimento de certos tipos de câncer, embora mais estudos sejam necessários para entender completamente essa relação.
  • Problemas digestivos: A ausência de fibras e nutrientes essenciais em alimentos ultraprocessados pode contribuir para problemas digestivos, como constipação e síndrome do intestino irritável.
  • Impacto na saúde mental: Pesquisas sugerem que uma dieta rica em alimentos ultraprocessados pode estar ligada a um maior risco de depressão e outros distúrbios de saúde mental.

Como consumir alimentos ultraprocessados de maneira equilibrada 

  • Reduza o consumo: Diminua a quantidade de alimentos ultraprocessados em sua dieta, optando por escolhas mais saudáveis sempre que possível.
  • Analise os rótulos: Examine os rótulos dos alimentos para entender melhor os ingredientes e o valor nutricional. Escolha opções com menor teor de gorduras saturadas, açúcares adicionados e sódio.
  • Substitua por alternativas saudáveis: Procure versões mais saudáveis de alimentos ultraprocessados, como biscoitos integrais em vez de biscoitos recheados, ou refrigerantes sem açúcar em vez de refrigerantes convencionais.
  • Equilibre com alimentos frescos: Ao consumir alimentos ultraprocessados, equilibre-os com alimentos frescos e naturais, como frutas, vegetais, grãos integrais e proteínas magras.
  • Controle as porções: Evite consumir abundância de alimentos ultraprocessados de uma só vez. Faça porções controladas e opte por lanches saudáveis entre as refeições.
  • Prepare em casa: Se possível, prepare suas próprias versões de alimentos ultraprocessados em casa, utilizando ingredientes mais saudáveis e métodos de preparo mais equilibrados.
  • Mantenha-se hidratado: Escolha água, chás sem açúcar ou sucos naturais em vez de bebidas açucaradas e refrigerantes.
  • Pratique a consciência alimentar: Esteja consciente das razões pelas quais está optando por alimentos ultraprocessados e de como eles se encaixam em sua dieta geral. Faça escolhas conscientes e planejadas.

Apesar dessas dicas auxiliarem a reduzir os impactos negativos dos alimentos ultraprocessados, é crucial lembrar que estes devem ser consumidos com moderação. Priorizar uma alimentação rica em alimentos naturais e saudáveis é a melhor opção para manter a saúde a longo prazo.

Veja também: Qual a quantidade de proteína que devemos comer por dia?

Benefícios da cafeína para a saúde


A cafeína, um elemento químico presente em diversas plantas, como grãos de café, folhas de chá, cacau e nozes-de-cola, destaca-se principalmente por seus benefícios no estímulo do sistema nervoso central.

Ao ser ingerida, a cafeína atua bloqueando os receptores de adenosina no cérebro, uma substância que normalmente induz à sonolência e ao relaxamento. Isso resulta em um aumento da atividade cerebral e do estado de alerta, contribuindo para os benefícios da cafeína.

Além do seu efeito estimulante, a cafeína também pode provocar uma elevação temporária da pressão arterial e estimular o sistema cardiovascular, possui propriedades diuréticas, aumentando a produção de urina.

Os efeitos da cafeína variam de pessoa para pessoa, sendo que alguns indivíduos podem ser mais sensíveis e experimentar efeitos colaterais como nervosismo, irritabilidade, insônia ou taquicardia, mesmo com doses menores.

No entanto, consumida de maneira moderada, a cafeína pode proporcionar benefícios à saúde. Estudos indicam que seu consumo moderado pode reduzir o risco de certas doenças, como doenças cardíacas, diabete tipo 2 e até mesmo alguns tipos de câncer. Além disso, a cafeína pode melhorar o desempenho cognitivo, o humor e até mesmo o desempenho atlético em algumas pessoas.

É um composto natural com efeitos estimulantes no corpo humano, por isso, o AnaMaria Receitas te ensina a como consumir cafeína de maneira saudável!

  • Cada pessoa tem uma tolerância diferente à cafeína. Compreenda como seu corpo reage e adapte o consumo de acordo com sua própria sensibilidade.
  • Defina a quantidade máxima de cafeína que você vai consumir por dia e permaneça dentro desse limite. Isso pode ajudar a evitar efeitos colaterais indesejados, como nervosismo e insônia.
  • Opte por opções de cafeína que ofereçam benefícios adicionais à saúde, como chá verde ou preto, ricos em antioxidantes, ou café orgânico de qualidade.
  • Evite consumir cafeína tarde demais no dia, especialmente se tiver dificuldade para dormir. Limite o consumo de cafeína após o meio-dia para garantir uma boa qualidade de sono.
  • Como a cafeína pode ter um efeito diurético, certifique-se de beber água suficiente ao longo do dia para evitar a desidratação. Mantenha-se hidratado para compensar a perda de líquidos.
  • Verifique os ingredientes adicionados às suas bebidas com cafeína. Evite opções com muito açúcar, xaropes e cremes, que podem adicionar calorias vazias e reduzir os benefícios à saúde.
  • Esteja atento aos sinais que seu corpo envia. Se começar a sentir efeitos colaterais negativos, como tremores ou palpitações, pode ser um sinal de que está consumindo cafeína em excesso. Ajuste sua ingestão conforme necessário.
  • Consuma cafeína como parte de uma dieta equilibrada e variada. Combine-a com alimentos saudáveis para garantir que obtenha os nutrientes necessários para manter sua saúde geral.

 

Mitos e verdades sobre o chocolate


Chocolate causa acne? Engorda? Ajuda a aliviar os sintomas relacionados à ansiedade e depressão? Essas são algumas perguntas comuns acerca do consumo do chocolate, alimento feito com base na amêndoa fermentada e torrada do cacau. Contudo, nem tudo aquilo que escutamos por aí é verdade! Ao contrário do que muitos pensam, o chocolate não é um vilão e, quando consumido em quantidade moderada, pode trazer benefícios à saúde!

Diversos estudos nos dão bons motivos para incluir pequenas porções do alimento no dia a dia, especialmente quando a vontade bater! No entanto, os resultados positivos só podem ser vistos a partir do momento em que a guloseima é consumida com responsabilidade e moderação. Por isso, o AnaMaria Receitas esclarece alguns mitos e verdades sobre o chocolate para você saber o que é real ou não; confira!

Mitos e verdades sobre o chocolate: ele vicia?

Mito. O chocolate não possui nenhum tipo de substância que vicia. Porém, o alimento possui mais de 300 substâncias químicas em sua composição, como a feniletilamina, mais conhecida como “hormônio da paixão”, responsável por gerar uma sensação de bem-estar. Assim, o consumo recorrente do chocolate está diretamente ligado ao prazer em comer, e não ao vício.

Chocolate engorda?

Verdade. Por ser um doce rico em açúcar e carboidratos, o chocolate é muito calórico, contribuindo para o ganho de peso. A maioria dos especialistas recomenda limitar a ingestão de chocolate a cerca de 30 g por dia, o que equivale a dois ou três quadradinhos de uma barra padrão. No entanto, o teor de cacau também é um fator determinante para o estabelecimento da quantidade ideal.

Consumir chocolate causa espinhas?

Mito. O chocolate em si não causa espinhas. Na verdade, a aparição da acne está ligada à obstrução das glândulas sebáceas, que pode ser provocada pelo consumo de alimentos hiperglicêmicos e gordurosos, além de fatores genéticos, alterações hormonais e excesso de oleosidade. Neste caso, o leite e o açúcar envolvidos na composição dos chocolates geram um aumento da produção de sebo na pele, proporcionando uma inflamação no organismo.

Chocolate ajuda a reduzir o colesterol?

Verdade. Contudo, o alimento precisa conter uma alta concentração de cacau. De acordo com uma pesquisa publicada pela Nature Scientific Reports, o consumo do cacau está relacionado à saúde cardiovascular, o que inclui o controle dos níveis de colesterol no sangue. Mesmo assim, é importante manter uma alimentação saudável e equilibrada, com baixo teor de gorduras saturadas e rica em gorduras insaturadas.

Chocolate ajuda a aliviar os sintomas relacionados à ansiedade e depressão?

Mito. Embora o chocolate estimule a liberação de substâncias responsáveis pela sensação de bem-estar, como a serotonina, ele não substitui os tratamentos médicos adequados para os diagnósticos de ansiedade e depressão. Sua ação pode causar um sentimento prazeroso ao consumidor e, consequentemente, trazer alívio momentâneo de sentimentos negativos.

Gostou de esclarecer algumas dúvidas quanto aos mitos e verdades sobre o chocolate? Confira, então, os melhores alimentos para reforçar a imunidade!

Segredos da Saúde: alimentos para reforçar sua imunidade


Alimentos que fortalecem a imunidade desempenham um papel crucial na manutenção da saúde e na prevenção de doenças. Diversos fatores podem afetar a eficácia do sistema imunológico de uma pessoa, impactando sua habilidade de combater infecções e doenças. Por exemplo, o estresse crônico pode desequilibrar o sistema imunológico, tornando-o menos apto a proteger o corpo contra invasores.

Da mesma forma, a privação de sono adequado pode enfraquecer as defesas naturais do organismo, deixando-o mais suscetível a vírus e bactérias. Além disso, uma alimentação pobre em nutrientes essenciais, como vitaminas e minerais, também pode comprometer a função imunológica, aumentando o risco de infecções.

Adicionalmente, o excesso de exercício físico pode temporariamente diminuir a eficácia do sistema imunológico, tornando-o mais suscetível a doenças. Com o avanço da idade, o sistema imunológico tende a enfraquecer, tornando os idosos mais propensos a infecções.

As variações de temperatura podem ter um efeito importante no sistema imunológico de uma pessoa. Quando ocorrem mudanças abruptas de temperatura, especialmente durante a transição entre estações, o corpo humano necessita adaptar-se rapidamente a essas mudanças ambientais.

O AnaMaria Receitas elaborou uma lista dos melhores alimentos que fortalecem a imunidade, visando seu bem-estar e saúde.

  • Frutas cítricas (limão, laranja, tangerina): Essas frutas cítricas contêm vitamina C, um antioxidante que estimula a produção de glóbulos brancos, fundamentais para combater infecções.
  • Alho: O alho possui propriedades antimicrobianas e anti-inflamatórias que podem prevenir infecções e fortalecer o sistema imunológico.
  • Vegetais de folhas verdes (espinafre, couve, acelga): Adicionalmente, esses vegetais verdes são ricos em vitaminas A, C e E, além de antioxidantes que combatem infecções.
  • Gengibre: Por sua vez, o gengibre possui propriedades anti-inflamatórias que podem reduzir a inflamação e apoiar a função imunológica.
  • Iogurte probiótico: O iogurte probiótico contém bactérias saudáveis que promovem a saúde intestinal e fortalecem o sistema imunológico.
  • Amêndoas: As amêndoas são uma excelente fonte de vitamina E, um antioxidante que combate infecções e mantém a integridade das células imunológicas.
  • Salmão: O salmão é rico em ácidos graxos ômega-3, que reduzem a inflamação e apoiam a função imunológica.
  • Chá verde: Por último, o chá verde possui antioxidantes, como catequinas, que fortalecem o sistema imunológico e protegem o corpo contra infecções.

Essa seleção destaca alimentos ricos em nutrientes essenciais, vitaminas e antioxidantes, importantes para manter um sistema imunológico forte. Incorporar esses alimentos à sua dieta diária pode contribuir significativamente para fortalecer as defesas naturais do organismo, promovendo a saúde e prevenindo doenças.

Em suma, é imprescindível integrar regularmente à dieta alimentos que fortaleçam a imunidade, visando um sistema imunológico forte e resiliente.

Ao incluir frutas cítricas, alho, vegetais de folhas verdes, gengibre, iogurte probiótico, amêndoas, salmão e chá verde na alimentação diária, é possível prover ao organismo os elementos cruciais para uma imunidade robusta. Portanto, ao priorizar esses alimentos, não só se evitam doenças, mas também se promove uma saúde global e bem-estar duradouros.

Veja mais 4 alimentos que irão deixar seu sistema imunológico mais forte!

Alimentos que ajudam a combater a enxaqueca


A alimentação desempenha um papel significativo na prevenção e no manejo da enxaqueca e certos alimentos podem desencadear crises em algumas pessoas. Estes podem incluir alimentos ricos em tiramina (como queijos envelhecidos), alimentos processados, chocolate, café, bebidas alcoólicas, adoçantes artificiais e alimentos com glutamato monossódico (MSG). Manter um diário alimentar pode ajudar a identificar gatilhos específicos e evitar esses alimentos pode reduzir a frequência das crises de enxaqueca. Alguns alimentos te ajudam a combater esse e outros problemas.

Alguns nutrientes têm sido associados à prevenção de enxaquecas. Por exemplo, estudos mostraram que a riboflavina (vitamina B2), o magnésio e a coenzima Q10 podem ajudar a reduzir a frequência e a gravidade das crises de enxaqueca em algumas pessoas. Incluir alimentos ricos nesses nutrientes na dieta pode ser benéfico.

Uma dieta saudável e equilibrada pode desempenhar um papel importante na prevenção e no manejo da enxaqueca, ajudando a evitar gatilhos alimentares, estabilizar os níveis de glicose, reduzir a inflamação e fornecer nutrientes importantes para o corpo. No entanto, é importante lembrar que a resposta a alimentos pode variar de pessoa para pessoa, então é útil manter um diário alimentar e consultar um médico ou nutricionista para orientação individualizada.

Se você é uma daquelas pessoas que sofrem de enxaqueca, sabe como pode ser debilitante e frustrante lidar com essa condição. Embora não haja uma solução única para todos, alguns alimentos podem ajudar a reduzir a frequência e a gravidade desse problema. E, pensando no seu bem-estar, o AnaMaria Receitas separou alguns alimentos que irão te ajudar a lidar melhor com esse desconforto.

  1. Gengibre: Este superalimento tem sido utilizado há séculos por suas propriedades anti-inflamatórias e analgésicas. Experimente adicioná-lo ao seu chá ou suco pela manhã para um impulso refrescante e alívio potencial da enxaqueca.
  2. Peixes ricos em ômega-3: Salmão, sardinha e atum são excelentes fontes de ácidos graxos ômega-3, conhecidos por suas propriedades anti-inflamatórias. Integre esses peixes à sua dieta regularmente para ajudar a reduzir a inflamação e possíveis gatilhos de enxaqueca.
  3. Espinafre e amêndoas: Ambos são ricos em magnésio, um mineral que desempenha um papel crucial na regulação dos vasos sanguíneos e na redução da tensão muscular. Adicionar espinafre às suas saladas ou consumir um punhado de amêndoas como lanche pode fornecer uma dose extra de magnésio.
  4. Frutas vermelhas e cítricas: Morangos, mirtilos, laranjas e limões são ricos em antioxidantes, como a vitamina C, que ajudam a combater a inflamação e fortalecer o sistema imunológico. Além disso, essas frutas deliciosas podem adicionar um toque refrescante à sua dieta diária.
  5. Água: A desidratação é um dos principais gatilhos de enxaqueca para muitas pessoas. Certifique-se de beber bastante água ao longo do dia para manter-se hidratado e ajudar a prevenir dores de cabeça indesejadas.

A importância nutricional das frutas na alimentação


No cenário da busca por uma alimentação equilibrada e saudável, as frutas assumem um papel crucial, oferecendo não apenas sabores irresistíveis, mas também uma ampla gama de nutrientes essenciais. Além disso, esses alimentos são verdadeiros tesouros nutricionais, repletos de vitaminas, minerais, fibras e antioxidantes.

Ao incorporar uma variedade de frutas em sua alimentação diária, você não apenas estará nutrindo seu corpo com elementos essenciais, mas também proporcionando prazer ao paladar. Ademais, as frutas desempenham um papel fundamental na promoção da saúde e prevenção de doenças. Por isso, o AnaMaria Receitas conversou com a nutricionista funcional Cris Ribas Esperança para entender quais são os benefícios nutricionais das frutas e oferecer opções refrescantes para incorporá-las durante os dias quentes. Confira!

Vitaminas e minerais

As frutas fornecem uma variedade de vitaminas e minerais, como vitamina A, vitamina C, potássio, folato e muitos outros. Esses nutrientes desempenham papéis essenciais em processos metabólicos e no fortalecimento do sistema imunológico, além de auxiliar na manutenção da saúde óssea.

Fibras e antioxidantes

A fibra presente nas frutas é crucial para a saúde digestiva. Ela ajuda na regulação do trânsito intestinal, controle da glicose no sangue e redução do risco de doenças cardíacas. Além disso, as frutas são ricas em antioxidantes, como flavonoides e carotenoides, que combatem os radicais livres no corpo, contribuindo para a prevenção do envelhecimento precoce e redução do risco de doenças crônicas. Confira algumas sugestões refrescantes para desfrutar das frutas no verão:

Shake proteico com whey protein, morango, banana e coco

Ingredientes

  • 240 ml de leite de coco sem açúcar;
  • 1 xícara de morangos;
  • ½ banana congelada;
  • 1 dose de whey protein sabor morango;
  • ¼ de xícara de coco ralado.

Modo de preparo

  1. Misture todos os ingredientes, menos o coco ralado, no liquidificador.
  2. Bata até que fique homogêneo. Se o shake ficar grosso demais, vá adicionando água aos poucos até achar o ponto certo.
  3. Quando estiver na cremosidade adequada, adicione o coco ralado e bata por mais 15 segundos. Você pode adicionar mais coco ralado na hora de servir.

Iogurte caseiro com morangos

Ingredientes

  • 4 xícaras de leite integral (500 ml).
  • 4 colheres de iogurte natural (200 g).
  • 2 xícaras de morangos picados (200 g).
  • 5 colheres de sopa de mel (50 g).
  • Coco ralado.

Modo de preparo

  1. Em uma panela em fogo médio, coloque o leite para aquecer. Evite atingir o ponto de ebulição, pois a ideia é apenas aquecê-lo um pouco.
  2. Uma vez pronto, desligue o fogo e adicione o iogurte natural. Mexa com uma colher para misturar bem e depois passe para um recipiente de vidro com tampa. Deixe o recipiente por cerca de 3 horas em um local quente.
  3. Após esse tempo, leve-o para a geladeira durante a noite e, no dia seguinte, retire a base de iogurte da geladeira, mexa e adicione o mel.
  4. Para acrescentar os pedaços de morangos, existem duas opções: você pode adicioná-los à mistura cremosa e mexer, ou preparar uma geleia e espalhar por cima.
  5. Deixe tudo descansar até atingir a temperatura ambiente e pronto. Como um toque final, você pode polvilhar um pouco de coco ralado no topo.

Conforme Cris Ribas Esperança, montar um prato de forma equilibrada é uma prática fundamental para garantir a ingestão adequada de nutrientes essenciais. “A variedade de cores, texturas e grupos alimentares reflete a diversidade de nutrientes que nosso corpo necessita para funcionar de maneira otimizada. Não é necessário privar-se dos alimentos que amamos, mas sim incorporá-los com moderação e consciência”, afirma a nutricionista.

Dia da Comida Picante: descubra seus benefícios para a saúde


O Dia Internacional da Comida Picante é celebrado nesta terça-feira, 16 de janeiro, e há uma ótima razão para isso. A data existe para proporcionar surpresas ao paladar, além de divulgar as vantagens provenientes da inclusão da pimenta e de outras especiarias picantes em nosso dia-a-dia.

Contudo, muitas pessoas ainda não sabem quais são as qualidades das comidas picantes e como elas podem auxiliar no melhor funcionamento do corpo humano. Por isso, AnaMaria Receitas traz alguns dos benefícios destes tipos de alimentos para a saúde daqueles que os consomem. Confira!

Função antioxidante e anti-inflamatória

As pimentas contêm capsaicina, composto responsável pela propriedade picante, incluída na composição de suplementos nutricionais devido às suas propriedades. Por conta de seus efeitos antioxidantes, a capsaicina auxilia no combate às inflamações do corpo, o que pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares, câncer e derrame. 

Além disso, conforme os autores da pesquisa National Health and Nutritional Examination Survey, o consumo de pimenta é associado a um menor risco de morte precoce, justamente pelo alto poder antioxidante da capsaicina.

Combate dores e possui efeito calmante

Presente em abundância na pimenta, a capsaicina também pode ser encontrada em alimentos como gengibre, pimentão, açafrão-da-terra e páprica. Além de ter ação antioxidante e anti-inflamatória, a capsaicina age como um analgésico natural. Em razão disso, auxilia no combate às dores corporais e fortalece a imunidade.

Além disso, a substância está ligada à produção de endorfina, hormônio responsável pela sensação de bem-estar, alívio da dor e melhora da qualidade do sono. Dessa forma, o seu consumo pode gerar efeito calmante, ajudando no alívio dos sintomas de ansiedade e estresse, por exemplo.

Aumenta o metabolismo e auxilia na perda de peso

O metabolismo nada mais é do que um conjunto de reações químicas que ocorre nas células. Assim, o consumo diário de alimentos com capsaicina proporciona um aumento na taxa de metabolismo, resultando em um gasto calórico de cerca de 50 calorias por dia. Por isso, é um ótimo componente para ser ingerido diariamente, auxiliando na perda de peso. 

Contudo, como exposto, o efeito da capsaicina para este fim é pequeno, motivo pelo qual deve ser combinado com atividades físicas e dietas balanceadas. Além disso, vale destacar que a ingestão deve ser moderada, pois, quando consumidos em quantidades extremas, os alimentos picantes podem desencadear problemas no trato gastrointestinal de indivíduos com maior sensibilidade.

Tá calor aí? Aprenda a fazer essa salada refrescante


Mesmo que, para algumas pessoas, comer salada não seja muito apetitoso, sabemos que é a melhor opção para os dias quentes. Por mais que pareça ser um mito, comer comida pesada no calor pode fazer mal, sim.

Acontece que quando a temperatura está muito alta, o nosso corpo também fica mais quente. Com isso, comidas engorduradas podem elevar essa temperatura corporal, o que resulta em mal-estar e indigestão. Além disso, corpo precisa de mais hidratação e sais minerais nesses dias. Assim, saborear comidas leves é bem mais positivo.

Seguindo essa proposta, o AnaMaria Receitas te ensina a preparar uma salada bem refrescante de grãos e frango. Além de ser uma receita prática e muito fácil de fazer, esse prato faz qualquer hater amar salada! Veja o passo a passo completo na sequência.

Receita de salada com grãos e frango

A receita foi desenvolvida pela nutricionista Fernanda Zanetti, e preparada pela nossa colunista Bianca Vilela. Experimente essa salada refrescante e muito nutritiva!

Ingredientes

  • 3 xícaras de Arroz Multigrãos
  • 3 xícaras de Frango Cozido Desfiado
  • 1 lata de Grão-de-bico
  • 1 colher (sopa) de Vinagre balsâmico
  • Sal, cominho e pimenta-branca a gosto
  • 1/2 xícara de Castanhas
  • 1 colher (sopa) de Azeite

Modo de preparo

Comece misturando bem as xícaras de arroz e frango, ambos em temperatura ambiente, em uma tigela. Depois junte o grão-de-bico. Lembre-se de deixá-lo de molho por algumas horas antes de utilizá-lo para não haver desconforto na digestão. 

Tempero com sal, azeite, vinagre, cominho e pimenta-branca. Por fim, despeje por cima as castanhas para uma crocância. Prontinho, agora é só servir bem geladinha!

Chás calmantes: separamos 3 receitas para você ficar calminho


Nem todas as pessoas gostam de tomar chá, mesmo sendo uma das bebidas mais consumidas do mundo. São diversos tipos de chás disponíveis, e segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, cerca de 6 bilhões de xícaras de chá são tomadas no mundo todos os dias. 

Por essa fama toda, o AnaMaria Receitas resolveu separar 3 receitas práticas e deliciosas de chás, cujo efeito calmante é o grande diferencial. A ideia é seu dia seja ainda mais relaxante e, quem sabe, fazer você se tornar um grande fã de chá!

Chá de ervas com maçã

Chá de Ervas com Maçã - Getty Images
Chá de Ervas com Maçã – Getty Images

A maçã, por si só, já é uma fruta bem especial. E fica melhor ainda quando utilizada em chás. Alguns nutricionistas recomendam o chá de maçã como uma ótima forma de combater a pressão alta, sendo perfeita também para tratar problemas gastrointestinais. No entanto, ela não é muito utilizada como calmante.

Para preparar essa bebidinha mágica, basta colocar os ingredientes em uma panela com água e esperar ferver. Se quiser, coe e depois é só tomar ainda quentinho. Por mais que, no calor, o chá gelado seja uma ótima opção, alguns acreditam que os efeitos funcionam apenas quando a bebida ainda está quente. 

Chá de erva-cidreira com gengibre

Chá de Erva Cidreira com Gengibre - Getty Images
Chá de Erva Cidreira com Gengibre – Getty Images

Nossa próxima sugestão é com erva-cidreira. Nesta receita, juntamos a erva com outros dois ingredientes muito especiais: o gengibre e o limão. Ambos são peças-chave para a imunidade, principalmente se você está resfriado. Claro que funciona de forma complementar aos remédios, caso seja necessário usar, mas tomar um chá com esses ingredientes é uma boa aposta contra um resfriado não tão forte. 

A erva-cidreira, por si só, é uma ótima amiga do seu sistema imunológico, pois contém antioxidantes que agem no cérebro, te induzindo a dormir, ou pelo menos a acalmar, sendo uma ótima opção durante uma situação de estresse ou ansiedade. 

Neste caso, em especial, o AnaMaria Receitas recomenda colocar um pouco de mel, já que o sabor do gengibre pode ser um pouco forte para alguns paladares. Mas, se não quiser nenhum tipo de açúcar, melhor ainda! Tome antes de dormir e aproveite uma boa noite de sono!

Chá com frutas

Chá com frutas
Chá com frutas – Getty Images

E, para quem achou que apenas as ervas teriam efeitos calmantes, melhor se preparar para esse chá de frutas! Além da maçã, outra ótima opção para chás é o abacaxi. Inclusive, anote aí: os antioxidantes da fruta podem ajudar a diminuir inflamações na pele, sendo um ingrediente perfeito para quem sofre com acnes, coceiras ou rosáceas. 

Outros ingredientes interessantes dessa receita são a canela, o cravo e o anis-estrelado. Todos têm ótimos efeitos digestivos, são bem aromáticos, o que melhora ainda mais o sabor da infusão, além de serem termogênicos e ajudarem com o emagrecimento. Ah, os ingredientes também são excelentes para o combate de resfriados e gripes!

Por fim, mas não menos importante, o maracujá. É ele quem vai te tranquilizar quando você tomar esse chazinho. Se o suco da fruta já acalma, imagine a infusão! Os nutricionistas aconselham tomá-la perto da hora de dormir. Assim, além de garantir o efeito calmante, você não ficará sonolento durante o dia!

Alimentos que aumentam a imunidade!


As temperaturas estão baixando e, geralmente, com ela nossa imunidade também fica baixa. Por mais que não seja de fato a friagem que nos deixe doentes, as condições para a contaminação e transmissão dos vírus que causam gripe e resfriado são mais favoráveis.

Além disso, também é muito comum deixarmos a rotina esportiva em segundo plano quando a friaca chega, afinal, é muito mais confortável ficar em casa do que na academia né?  Também ficamos mais distantes do Sol (ou ele fica mais distante de nós), o que piora a absorção de vitamina D. 

Porém, com uma dieta equilibrada cheia de alimentos especiais, todos esses riscos podem ser evitados. Veja a lista de alimentos que aumentam a imunidade que o AnaMaria Receitas separou para você encarar essa temporada sem nariz escorrendo! 

Laranja e acerola

Musse de acerola com laranja
Musse de acerola com laranja

As rainhas da vitamina C, é com elas que precisamos andar para evitar qualquer baixa imunidade. Essa vitamina incrível é, nada mais nada menos, do que a maior responsável pelo fortalecimento das nossas células de defesa contra vírus e outros agentes infecciosos. 

Podemos comê-las in natura com o modo de preparo sendo apenas lavar a fruta e remover a casca. Mas, se quiser turbinar seus pratos especiais, o AnaMaria Receitas tem uma receita deliciosa de Musse de laranja com acerola para que você não precise escolher entre as duas. 

Verduras e legumes verdes escuro

Sopa de Espinafre na Moranga

Outro clássico da alimentação preventiva, os legumes e verduras verdes escuro são os melhores amigos da nossa saúde. Brócolis, rúcula, espinafre, agrião, acelga, folha de beterraba, couve, e vários outros alimentos como esses são muito especiais. 

Eles são ricos em ferro, vitamina A e vitamina C que, combinados, ajudam no fortalecimento da nossa imunidade. Outra dica é comê-los acompanhados de vitamina C, como suco de limão, laranja, acerola, enfim. Essa super vitamina auxilia na absorção de ferro. 

A indicação do AnaMaria Receitas é magnífica. Para te aliviar do frio e ainda promover a imunidade dos sonhos, que tal preparar essa sopinha de espinafre? Fica a dica para você!

Peixinhos e a vitamina A

Quibe de abóbora

O peixe é um alimento bem interessante. O salmão, por exemplo, é uma fonte de nutrientes e vitaminas praticamente sem fim. As principais são a vitamina A e o ômega 3. Elas são antioxidantes importantíssimos para o bom funcionamento da nossa imunidade. 

Além deles, a gordura vegetal presente no azeite, o leite integral, cenoura e abóboras são ricos em vitamina A. Então, se você é vegetariano, temos algumas outras opções para você. Inclusive, a dica para esse inverno é o quibe de abóbora!

O que o Sol e a gema do ovo têm em comum? 

Polenta com couve e sardinha
Polenta com couve e sardinha

Além do amarelo radiante, ambos são fontes de vitamina D. Assim como o salmão e a sardinha, a gema de ovo é indispensável quando os dias estão nublados, mesmo que a melhor maneira de garantir essa vitamina no corpo seja com banhos de Sol diários. 

Dessa forma, experimente preparar essa polenta com couve e sardinha. Além de ser muito saborosa, os nutrientes presentes nos ingredientes são aliados fiéis à nossa imunidade! 

Mantenha-se hidratado! 

Chá de Erva Cidreira com Gengibre - Getty Images
Chá de Erva Cidreira com Gengibre – Getty Images

No frio sentimos menos sede, pois liberamos menos água. Porém, não é motivo para deixar de beber água, hein! Como o ar tende a ficar mais seco, os vírus conseguem se instalar mais facilmente por nossas vias aéreas que, consequentemente, também ficam secas. 

Se você tiver dificuldade de bater a meta diária de água quando as temperaturas baixam, experimente preparar chás durante o dia. A nossa sugestão é o chá de erva cidreira com gengibre: saboroso e perfeito para a imunidade!