Mitos e verdades sobre o chocolate


Chocolate causa acne? Engorda? Ajuda a aliviar os sintomas relacionados à ansiedade e depressão? Essas são algumas perguntas comuns acerca do consumo do chocolate, alimento feito com base na amêndoa fermentada e torrada do cacau. Contudo, nem tudo aquilo que escutamos por aí é verdade! Ao contrário do que muitos pensam, o chocolate não é um vilão e, quando consumido em quantidade moderada, pode trazer benefícios à saúde!

Diversos estudos nos dão bons motivos para incluir pequenas porções do alimento no dia a dia, especialmente quando a vontade bater! No entanto, os resultados positivos só podem ser vistos a partir do momento em que a guloseima é consumida com responsabilidade e moderação. Por isso, o AnaMaria Receitas esclarece alguns mitos e verdades sobre o chocolate para você saber o que é real ou não; confira!

Mitos e verdades sobre o chocolate: ele vicia?

Mito. O chocolate não possui nenhum tipo de substância que vicia. Porém, o alimento possui mais de 300 substâncias químicas em sua composição, como a feniletilamina, mais conhecida como “hormônio da paixão”, responsável por gerar uma sensação de bem-estar. Assim, o consumo recorrente do chocolate está diretamente ligado ao prazer em comer, e não ao vício.

Chocolate engorda?

Verdade. Por ser um doce rico em açúcar e carboidratos, o chocolate é muito calórico, contribuindo para o ganho de peso. A maioria dos especialistas recomenda limitar a ingestão de chocolate a cerca de 30 g por dia, o que equivale a dois ou três quadradinhos de uma barra padrão. No entanto, o teor de cacau também é um fator determinante para o estabelecimento da quantidade ideal.

Consumir chocolate causa espinhas?

Mito. O chocolate em si não causa espinhas. Na verdade, a aparição da acne está ligada à obstrução das glândulas sebáceas, que pode ser provocada pelo consumo de alimentos hiperglicêmicos e gordurosos, além de fatores genéticos, alterações hormonais e excesso de oleosidade. Neste caso, o leite e o açúcar envolvidos na composição dos chocolates geram um aumento da produção de sebo na pele, proporcionando uma inflamação no organismo.

Chocolate ajuda a reduzir o colesterol?

Verdade. Contudo, o alimento precisa conter uma alta concentração de cacau. De acordo com uma pesquisa publicada pela Nature Scientific Reports, o consumo do cacau está relacionado à saúde cardiovascular, o que inclui o controle dos níveis de colesterol no sangue. Mesmo assim, é importante manter uma alimentação saudável e equilibrada, com baixo teor de gorduras saturadas e rica em gorduras insaturadas.

Chocolate ajuda a aliviar os sintomas relacionados à ansiedade e depressão?

Mito. Embora o chocolate estimule a liberação de substâncias responsáveis pela sensação de bem-estar, como a serotonina, ele não substitui os tratamentos médicos adequados para os diagnósticos de ansiedade e depressão. Sua ação pode causar um sentimento prazeroso ao consumidor e, consequentemente, trazer alívio momentâneo de sentimentos negativos.

Gostou de esclarecer algumas dúvidas quanto aos mitos e verdades sobre o chocolate? Confira, então, os melhores alimentos para reforçar a imunidade!

Saiba como cuidar da saúde consumindo chocolate


Todo mundo já sabe que comer um bom chocolate pode deixar seu dia e seu humor bem melhores. Mas você sabia que esse efeito foi comprovado cientificamente? Pois é, além de nos deixar mais felizes, o cacau tem poderes medicinais incríveis que podem melhorar a nossa saúde significativamente. Veja alguns benefícios do chocolate para o corpo e mente com o AnaMaria Receitas!

Ingrediente secreto!

O consumo do chocolate com fins medicinais já ocorre há anos. O povo indígena Guna, que vive no arquipélago da Costa Caribenha do Panamá, foi um dos motivos pelas novas descobertas científicas sobre o tema. Isso porque esses indígenas apresentam uma pressão arterial saudável e pouquíssimas mortes decorrentes de cânceres, doenças cardíacas e AVC. Logo os cientistas relacionaram o baixo número desses dados com o costume de consumir um tipo de suco de cacau tradicional da região.  

A partir disso, especialistas do mundo todo investiram anos de pesquisa nos benefícios do fruto. O que se descobriu foi uma substância quase mágica chamada flavonoides. Ela é uma substância encontrada em frutas, legumes e verduras, mas a concentração encontrada no cacau foi surpreendente. 

Os efeitos dessa substância são diversos e ela é a grande responsável por transformar o chocolate tão vilanizado em um superalimento. No entanto, muitos estudos ainda precisam ser realizados, uma vez que pouco se sabe sobre as causas e os mecanismos dessa substância no nosso corpo. Mesmo assim, os resultados das pesquisas realizadas foram fascinantes!

Chocolate no coração!

Um artigo produzido pela Universidade de Harvard em Boston nos Estados Unidos constatou que os flavonoides podem ser grandes aliados à saúde do coração. Isso porque essas substâncias ajudam a produzir um elemento químico chamado óxido nítrico que, por sua vez, é muito útil no relaxamento de vasos sanguíneos e na diminuição da pressão arterial. 

Vale constar que uma pressão arterial baixa diminui as chances de doenças cardíacas como AVC, insuficiência cardíaca, dores no peito e entre outras. No geral, promover uma boa condição cardíaca para o seu corpo com certeza é uma forma de prolongar a sua vida. 

Cérebro e mente

O amor pelo chocolate é real
O amor pelo chocolate é real/Foto: Pixabay

Além de cuidar do nosso coração, o cacau também ajuda a manter nossa cabecinha saudável. A razão disso se deve aos poderes anti-inflamatórios dos flavonoides “mágicos”. De acordo com um artigo científico publicado pela Universidade de Cambridge, os flavonoides podem contribuir para o alívio dos sintomas de Alzheimer. 

Fora isso,  outras pesquisas evidenciaram que o consumo de 48g de chocolates amargos orgânicos aumentam a neuroplasticidade, responsável por permitir novas conexões entre neurônios, o que melhora a memória, raciocínio e humor. 

Inclusive, sobre o humor, o chocolate estimula atividade cerebral em áreas associadas com o prazer e recompensa, o que diminui o nível de estresse. Incrível, não? Existe outra substância que faz a gente ficar eufórico ao ingerir o chocolate: feniletilamina. Ela basicamente copia os efeitos que o amor cria no nosso corpo, como batimentos acelerados e felicidade instantânea. Por isso que às vezes a gente ama mesmo o chocolate. Ela em conjunto com a serotonina, que também é liberada pelo chocolate, são as grandes responsáveis por deixar o chocolate tão especial.

Enfim, o cacau, além de aumentar nossa saúde física, também nos ajuda a diminuir os sintomas de depressão e ansiedade. Mas saiba que não adianta comer uma barra inteira de uma vez. De pouco em pouco acrescente o chocolate 50% na sua vida e aproveite os benefícios!

Perda de peso e diabetes

Cientistas também chegaram à conclusão de que comer uma quantidade saudável de chocolate amargo pode ser incrivelmente benéfico para a prevenção de diabetes. Essa tese se dá ao fato de que os flavonóides reduzem o estresse oxidativo do nosso corpo que, de acordo com os especialistas, é a causa principal da resistência à insulina – isso é uma das etapas pré-diabetes. 

Já a perda de peso está atrelada ao fato de que o chocolate amargo ajuda bastante na saciedade. Obviamente existe um equilíbrio esperado, até porque ninguém vai emagrecer se comer apenas chocolate, então é necessário ter uma dieta balanceada e nutritiva. 

Prevenção de câncer

Infelizmente, essa é a teoria que os cientistas conseguiram menos provas substanciais. Porém, algumas pesquisas apontam a possibilidade dos antioxidantes presentes no chocolate protegerem nossas células dos efeitos de radicais livres. 

Radicais livres são moléculas de oxigênio instáveis que, ao longo dos anos, podem agredir células saudáveis e causar doenças como cânceres, doenças cardíacas, Alzheimer e outras fatalidades. 

Quanto menos processado, melhor.

Quanto mais cacau, melhor
Quanto mais cacau, melhor/Foto: Pixabay

Por mais que todo esse texto tenha sido sobre o chocolate, todos esses benefícios condizem apenas com o chocolate amargo (maior ou igual a 50% cacau). Isso significa que chocolate ao leite possui poucas quantidades de flavonoides e muito mais açúcares, gorduras e aromatizantes. Chocolate branco nem conta com o cacau em si em sua composição – apenas com a manteiga dele – então já pode esquecer. 

Outro ponto muito importante a se destacar é a quantidade recomendada de chocolate amargo a se consumir diariamente. Os especialistas dizem que 28 gramas a 42 gramas já é suficiente. Isso está presente a 1 ou 2 quadradinhos da barra. Equilíbrio é tudo!

Por isso, nada de comer besteiras o dia todo e achar que um pedaço de chocolate amargo vai salvar seu organismo. As pesquisas citadas foram realizadas com pessoas que levavam uma vida leve e saudável, com alimentação nutritiva e exercícios físicos. 

Agora, se eu fosse você, começaria a introduzir o chocolate amargo na minha vida para ontem! Pode começar com os mais “fáceis” de gostar como 30% ou 40% cacau e vai aumentando a concentração até chegar nos 70%. Como você sabe, os benefícios são imperdíveis!