Cachorro-quente pode virar torta? Veja a receita completa


O Dia do Cachorro-Quente é celebrado neste sábado, 9 de setembro. Você sabia que essa verdadeira iguaria pode vir em uma versão completamente diferente? O AnaMaria Receitas te ensina a preparar essa torta deliciosa que, além de ser muito fácil de preparar, é perfeita para eventos com grupos grandes de pessoas. 

Isso porque, no caso do cachorro-quente tradicional, os sanduíches precisam ser preparados individualmente, o que pode ser bem mais trabalhoso quando se trata de muitos convidados. Já essa torta é uma opção saborosa e que mantém a proposta do cachorro-quente original, só que de um jeito novo e bem mais prático. Aprenda!

Receita de torta de cachorro-quente

Uma opção econômica, saborosa e muito prática para servir para todo mundo!

Ingredientes 

Massa

  • 3 ovos
  • 3/4 de xícara (chá) de óleo
  • 1/2 xícara (chá) de amido de milho
  • 2 xícaras (chá) de leite
  • 1 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
  • 2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
  • Sal a gosto
  • 1 colher (sopa) de fermento em pó

Recheio

  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 1 cebola pequena picada
  • 1 pimentão pequeno verde cortado em cubos
  •  4 tomates sem pele e sem sementes picados
  • Sal a gosto
  • 1 colher (sopa) de salsa picada
  • 5 salsichas já fervidas.

Modo de preparo: 

Comece pela massa, batendo os ovos, o óleo, o amido de milho, o leite, a farinha de trigo, o queijo ralado, o sal e o fermento em um liquidificador e reserve. 

Para o recheio, coloque azeite em uma panela e refogue a cebola, o pimentão e o tomate. Tempere com o sal e deixe cozinhar no fogo brando até o tomate se desmanchar. Polvilhe a salsa. Reserve e deixe esfriar. 

A montagem é simples, corte as salsichas ao meio no sentido do comprimento. Unte um refratário com margarina e ponha metade da massa, espalhe o molho frio e distribua as salsichas. Cubra com o restante da massa e leve para assar durante 40 minutos ou até dourar. 

Para servir, corte em pequenos quadrados. Essa torta fica ainda mais saborosa com ketchup e mostarda!

Dia do cachorro-quente: veja curiosidades e diversos preparos pelo Brasil


O cachorro-quente é um dos pratos mais consumidos do mundo. Só para você ter uma ideia, nos Estados Unidos são aproximadamente 20 bilhões de lanches por ano. A praticidade e o sabor são o que dão a fama para o sanduíche de pão e salsicha, mas esse simples prato também tem diversas histórias e preparos incríveis. Veja curiosidades sobre o cachorro-quente. Confira aqui no AnaMaria Receitas!

Origem do nome

Por mais que o preparo da salsicha possa ser algo totalmente industrializado, trata-se de um item bem antigo. Segundo o site Aventuras na História, alguns documentos afirmam que ela surgiu por volta de 1484, data comemorada em Frankfurt, na Alemanha. No entanto, o cachorro-quente que conhecemos hoje teria sido criado por um açougueiro alemão no final do século 17. 

Johann Georghehner, o profissional em questão, criou o prato em Coburg, mas foi até Frankfurt divulgar sua descoberta. Anos depois, o sanduíche chegou nos Estados Unidos com os imigrantes europeus da época. 

Já em terras americanas, eles eram vendidos como “hot dachshund”, nome da famosa raça de cachorros alemã, conhecida popularmente como “salsichinha”. E, para facilitar a pronúncia em inglês, começaram a chamar o prato de “hot dog”, traduzido mais tarde como cachorro-quente. 

Cachorro quente/ Foto: Pixabay
Cachorro quente/ Foto: Pixabay

Diversidade no preparo

No mundo inteiro, o cachorro-quente ganhou sua própria versão. O básico é a salsicha no pão, temperado com ketchup e mostarda. A receita tradicional, porém, pode levar inúmeros ingredientes, como chucrute e picles. Com a popularização dos pratos, mais e mais receitas mirabolantes foram inventadas. 

No Brasil, as mudanças foram intensas. Em São Paulo, por exemplo, o sanduíche recebe purê de batata, molho de tomate e batata palha na montagem. No entanto, no Rio de Janeiro (RJ), é comum que até ovos de codorna apareçam em algumas versões. Já em terras mineiras, costuma-se comer cachorro-quente com milho-verde, bacon, pimenta em conserva e pimentão verde.

Já os baianos têm o costume de colocar azeite de dendê e até abóbora para comer o cachorro-quente. No norte do Brasil, o lanche pode ser chamado de x-caboquinho, mas em Manaus é o Kikão que toma conta das ruas. Nele, além do pão e salsicha, podem ir cenoura, queijo ralado e maionese. E você? Como costuma comer seu amado cachorro-quente?