Introdução alimentar: dicas para ofertar os principais alimentos alergênicos

Introdução alimentar precoce ajuda a evitar alergias nas crianças. Imunologista da USP recomenda dicas para pais e mães que estão passando pela fase com bebês de mais de 6 meses

“Existem estudos que mostram que a introdução alimentar precoce de proteínas alergênicas é um fator protetor ao desenvolvimento de alergias alimentares”, declara Dra. Mariana Forti Nastri, médica alergista e imunologista pela USP em exclusiva ao AnaMaria Receitas.

Publicidade

Na lista dos alimentos que mais causam alergia alimentar estão: leite, ovo, soja, trigo, castanhas, frutos do mar e peixes.

A médica alergista, que também faz parte da equipe técnica da Clínica Croce – explica que quando o bebê já tiver seis meses de vida os alimentos alergênicos já podem começar a ser introduzidos.

Introdução alimentar é importante na fase dos 6 meses do bebê
Introdução alimentar é importante na fase dos 6 meses do bebê / Pixabay

Abaixo, ela dá algumas dicas para mães e pais:

  • Os alimentos devem ser introduzidos separadamente, ou seja, se hoje você vai ofertar o ovo, não ofereça mais nenhum outro alimento com potencial alergênico.
  • Falando em ovo, ele pode ser introduzido na alimentação do bebê na sua forma inteira: gema com a clara.
  • O modo mais seguro para dar uma castanha ao bebê é em forma de pasta. “Uma boa opção é usar a pasta de amendoim na versão sem açúcar misturada com frutas”, indica Dra. Mariana.
  • Sempre oferte o alimento novo no período da manhã ou até a hora do almoço. Assim, o adulto consegue observar a criança acordada e ficar alerta para qualquer tipo de reação alérgica. “Essa forma precoce de introdução alimentar de alimentos potencialmente alergênicos permite ampliar as opções nutricionais da criança de forma um pouco mais segura”, explica a alergista.

E se meu filho tiver alergia, como vou perceber?

Entre os sintomas da alergia alimentar, estão: placas vermelhas no corpo, inchaço em torno da boca, vômitos, inchaço nos olhos, mãos e orelhas, falta de ar, tosse, dor abdominal ou diarreia.

“Caso o bebê apresente qualquer um desses sinais enquanto estiver comendo um alimento novo, pare imediatamente de ofertá-lo e procure um médico alergista e imunologista para o diagnóstico correto da alergia alimentar”, finaliza Dra. Mariana.

Publicidade