Intestino preso: nutricionista dá dicas alimentares para quem sofre desse problema

O nutricionista Vinicius Balan dá dicas alimentares para quem sofre de intestino preso. Confira aqui no AnaMaria Receitas!

Você faz parte daquelas pessoas que passam dias sem ir ao banheiro? Se a resposta for sim, você deve saber mais do que ninguém o incômodo que é lidar com intestino preso, que provoca dores abdominais, gases e até mesmo, outros distúrbios digestivos. 

Publicidade

Mas fique tranquilo, pois é possível combater os sintomas da constipação sem o uso de remédios laxantes. Isso pode ser feito apenas com uma dieta balanceada, rica em fibras e probióticos, e também, compreender quais alimentos são seus aliados e quais você deve riscar da lista, buscando evitar assim, os desconfortos causados pela prisão de ventre.

O AnaMaria Receitas convidou o nutricionista clínico e esportivo, Vinícius Balan, para dar dicas de quais alimentos você deve incluir na sua dieta e quais deve evitar, para manter um bom funcionamento do seu intestino. Venha conferir a seguir!

Quais as causas do intestino preso? 

A constipação, geralmente, é causada por uma dieta pobre em fibras, pela baixa ingestão de água e pela ausência de exercícios físicos. 

Outros fatores podem influenciar no funcionamento inadequado do intestino, como a depressão, estresse, ansiedade e até mesmo o uso de alguns medicamentos. 

Publicidade

Mas, cuidado, pois a prisão de ventre pode estar associada a outras doenças do cólon e do reto, como diverticulose, hemorróidas e câncer colorretal. Por isso, é importante realizar um acompanhamento médico para realizar um levantamento da história do paciente, além de exames clínicos, que vão confirmar o diagnóstico.

Como saber se tenho intestino preso?

Para saber se você sofre de constipação, basta analisar os sintomas, que podem variar de pessoa para pessoa. 

Normalmente, os mais característicos são: ir ao banheiro poucas vezes na semana, dificuldade para evacuar, fezes ressecadas, duras e pouco volumosas, desconforto abdominal, gases e sensação de inchaço.

Publicidade

Qual o tratamento para o intestino preso?

O tratamento para prisão de ventre busca corrigir os fatores que causam o distúrbio.

Segundo o nutricionista Vinícius Balan, na maioria dos casos, a mudança nos hábitos alimentares, a maior ingestão de líquidos e a realização de atividades físicas são a solução para o problema. 

“A alimentação desempenha um papel fundamental na prevenção da prisão de ventre. Alguns alimentos, como frutas, verduras, legumes, cereais integrais e sementes, são ricos em fibras, que ajudam a manter as fezes macias e facilitam a evacuação”, afirma. O especialista ainda indica que a ingestão adequada de líquidos, especialmente água, é importante para manter o bolo fecal hidratado e facilitar o trânsito intestinal.

Publicidade

Ele ressalta, também, a importância dos probióticos, que podem ajudar na prevenção do distúrbio: “Outros nutrientes importantes para o bom funcionamento do intestino incluem os probióticos, que são bactérias benéficas que ajudam a manter o equilíbrio da flora intestinal, e os prebióticos, que são fibras que servem de alimento para essas bactérias.”

O que consumir para evitar o intestino preso?

O nutricionista recomenda a ingestão de alimentos ricos em fibras, como: 

  1. Frutas: ameixa, mamão, laranja, kiwi e morango são ricas em fibras e água, o que ajuda a amolecer as fezes e facilitar a evacuação.
  2. Vegetais: brócolis, couve-flor, espinafre, cenoura, abobrinha, berinjela e beterraba são ricos em fibras e nutrientes que ajudam a estimular o trânsito intestinal.
  3. Cereais integrais: aveia, arroz integral, quinoa, cevada e trigo integral são ricos em fibras, vitaminas e minerais que ajudam a manter as fezes macias e regulares.
  4. Leguminosas: feijão, lentilha, grão-de-bico e ervilha são ricas em fibras e nutrientes que ajudam a estimular o trânsito intestinal.
  5. Água: A ingestão adequada de líquidos, especialmente água, ajuda a manter as fezes hidratadas facilitando a evacuação.

Vinícius ainda reforça a importância das fibras para um bom funcionamento do intestino: “As fibras, por exemplo, ajudam a formar um bolo fecal volumoso e macio, que é mais fácil de ser eliminado pelo intestino. Por isso, é importante incluir uma variedade de alimentos saudáveis na dieta para prevenir e aliviar a prisão de ventre.”

Publicidade

Quais alimentos devemos evitar para não sofrer com a constipação?

O nutricionista Vinícius nos contou quais alimentos devemos evitar, portanto, anote aí!

  1. Alimentos processados: Alimentos processados, como salgadinhos, refrigerantes e doces, são geralmente ricos em gorduras, açúcares e aditivos químicos que podem contribuir para a constipação.
  2. Alimentos ricos em gordura: Alimentos ricos em gordura, como carnes vermelhas, laticínios integrais e frituras, podem ser difíceis de digerir e contribuir para a constipação.
  3. Bebidas alcoólicas: O álcool pode desidratar o corpo e interferir no funcionamento normal do intestino, contribuindo para a constipação.

Além das recomendações alimentares, o especialista deu dicas adicionais que podem ajudar a prevenir e aliviar a prisão de ventre:

  1. Mastigar bem os alimentos: ajuda a facilitar a digestão e a absorção de nutrientes, além de contribuir para a formação de um bolo fecal adequado.
  2. Incluir probióticos na dieta: Os probióticos são bactérias benéficas que ajudam a manter o equilíbrio da flora intestinal e a melhorar a digestão. Eles podem ser encontrados em alimentos como iogurte, kefir, chucrute e kombucha.
  3. Dormir bem: O sono adequado ajuda a regular os hormônios e a manter o funcionamento normal do sistema digestivo.
  4. Controlar o estresse: O estresse crônico pode afetar o funcionamento do intestino e contribuir para a constipação. Por isso, é importante adotar técnicas de relaxamento, como meditação, yoga ou respiração profunda.
  5. Praticar atividade física regularmente: A atividade física ajuda a estimular o trânsito intestinal e a melhorar a função do sistema digestivo.

Entretanto, se os sintomas persistirem, e as dicas não funcionarem, Vinícius recomenda procurar um médico: “Se a prisão de ventre for persistente, é importante consultar um médico para avaliação e tratamento adequado, que pode incluir o uso de medicamentos prescritos e/ou mudanças no estilo de vida.”