Veja porquê e como introduzir a educação alimentar na infância!

A educação alimentar é importantíssima durante a vida toda para manter hábitos saudáveis em relação à alimentação. Veja como a educação alimentar na infância pode servir de grande apoio à saúde dos pequenos ao longo de suas vidas, assim como dicas de como introduzi-la. Foto: Pixabay

Comer alimentos pouco nutritivos e cheios de açúcar e gorduras desnecessárias é um vício que muitos enfrentam durante a vida. E assim como todos os vícios, quanto mais levamos uma alimentação não saudável, mais difícil é mudar os hábitos. Por isso, a educação alimentar durante a infância é tão importante. Entenda mais sobre ela e veja dicas de como introduzi-la na vida dos pequenos com o AnaMaria Receitas

Publicidade

O que é educação alimentar? 

A educação alimentar é nada mais nada menos do que aprender a comer bem. De acordo com a nutricionista pediatra Giuliana Taralli, a educação alimentar consiste em informar e educar as pessoas sobre alimentação saudável para elas criarem hábitos saudáveis e desenvolverem uma boa relação com a comida. 

O acesso à informação é primordial para que haja a separação entre a ideia de alimentação e estética. Até porque, se alimentar bem diz muito mais sobre saúde do que apenas um “corpo bonito”. Ter o hábito de comer verduras, legumes e frutas é essencial para prevenir tanto doenças alimentares como as cardiovasculares, diabetes e obesidade quanto doenças imunológicas como gripes e viroses. E por isso, a educação alimentar é importante. 

Mas, por que a educação alimentar é tão importante na infância?

As doenças causadas por um mau hábito alimentar podem ser desenvolvidas desde pequenos. Seja a obesidade infantil que aumenta a cada ano ou doenças cardiovasculares, todas podem ficar conosco para o resto de nossas vidas. Por isso, quanto mais cedo entendemos a importância da alimentação saudável, mais cedo conseguimos mudar esses hábitos. 

Além disso, é muito comum ver crianças terem uma dificuldade maior em experimentar novos pratos. O que muitos chamam de “paladar infantil” na verdade recebe o nome de seletividade alimentar e consiste em excluir um alimento da dieta por não agradar em gosto ou textura

Publicidade

O problema é que essa exclusão pode continuar ao longo da vida, privando o corpo de alguns nutrientes importantíssimos. Por isso, quando conseguimos quebrar essa barreira por meio da educação alimentar infantil, sabemos que os pequenos serão mais tolerantes a novos alimentos para o resto da vida. 

Fora isso, Giuliana explica que as crianças têm um poder influenciador gigantesco, o que significa que, ao aprender a não comer alimentos processados com frequência e a importância de incluir frutas, legumes e verduras no cardápio, elas conseguem interromper um ciclo de má alimentação dentro de casa, por exemplo. Sem contar que esses ensinamentos continuam com os pequenos para o resto de suas vidas. 

Como introduzir alimentação saudável aos seus filhos?

Mão na massa! Foto: PIxabay

Mesmo que seu filho tenha uma base de educação alimentar e nutricional na escola, ainda é muito importante incentivar isso dentro de casa. Porém, não há apenas um método certo de introduzir a alimentação saudável para seu filho, Giuliana Taralli explica que “a maneira correta é aquela que funciona dentro de casa de forma respeitosa, lúdica e divertida”. Mas calma, o AnaMaria Receitas separou 4 dicas ótimas para introduzir a educação alimentar dentro de casa: 

Publicidade

Encontre fontes confiáveis

Nem todos os pais são nutricionistas formados, dessa forma, é muito importante construir uma rede de apoio com pessoas especializadas. Taralli sugere “sites/redes sociais de sociedades (pediatria, nutrição infantil), conversas com profissionais que trabalham com essa educação e sempre desconfiar e pesquisar antes de assumir como verdade”. 

Seja o exemplo

Publicidade

Querendo ou não, as crianças se espelham nos seus pais e por muito tempo a vida em casa é tudo o que elas conhecem. Dessa forma, se elas conhecerem mais sobre o mundo das frutas, legumes e vegetais e menos sobre alimentos processados e pouco nutritivos, mais difícil será para que elas criem vícios em alimentos não saudáveis no futuro. Então, seja você o exemplo e coma saudável junto aos com seus filhos. 

Mão na massa!

Cozinhar é uma maneira superdivertida de aprender sobre os alimentos e como eles são feitos dentro de casa. Além disso, é uma ótima oportunidade para que os pequenos desenvolvam autonomia e coordenação motora. Faça da sua cozinha uma sala de aula descontraída e deliciosa!

Publicidade

Menos pacotes e mais in natura

Mais uma dica de Giuliana Taralli e essa consiste em diminuir a quantidade de alimentos processados em casa. Sendo assim, sempre que for ao supermercado (ou, ainda melhor, na feira) prefira alimentos naturais, orgânicos ou minimamente processados. Além de melhorar a saúde da casa toda, impulsiona os hábitos saudáveis do seu filho.